Internet só perde para a TV como fonte de informação

Pesquisa mostra que a internet tem grande potencial no mercado brasileiro

Fonte: goldenlight.biz
Por Paula Thomaz, de São Paulo

Ao chegar ao trabalho, o empresário do ramo livreiro, Luis Rossi, liga o computador e navega pela web em busca de notícias sobre o mercado editorial. “Não sou um super usuário, mas quando preciso me informar sobre assuntos relacionados ao meu tipo de negócio, algo mais especializado, vou à internet”, diz. Ele faz parte de uma estatística comprovada pelo Instituto Vox Populi, divulgada em setembro, que coloca a internet como a segunda fonte de informação para 20,4% dos entrevistados, num universo de 2.500 pessoas, ficando atrás apenas da TV (55,9%). Já a leitura de jornais e revistas, que também faz parte da rotina do empresário, aparece entre 10,5% dos entrevistados para a pesquisa.

Cada vez mais o público jovem tem se apoiado na internet como fonte de informação, levando à diminuição da popularidade dos meios impressos. É isso o que tem feito com que vários jornais diários façam estudos, criem novos produtos e promoções, tentando compreender o perfil dos usuários de internet, com intuito de diminuir a perda de leitores em versão impressa.

E não é à toa que isso acontece. Para Conrado Adolfo Vaz, autor do livro “Google Marketing”, quando a gente fala de novas tecnologias, significa falar do que ela traz em relação às mídias tradicionais. A TV, a revista, o jornal, o outdoor não têm interatividade; e a internet e o celular têm. Isso faz com que tenham grande adesão por parte da população. “A interação é em grande escala e isso faz com que as pessoas procurem mais a internet em detrimento de outros veículos”, diz.

A cada dia mais populares, as redes sociais foram citadas no estudo como principal fonte de informação por 2,7% da amostra, ficando à frente das versões on-line dos jornais (1,8%) e das revistas impressas (0,8%) e on-line (0,1%).

Para o economista Luis Contreras, consultor do Grupo Máquina e coordenador da pesquisa, “é interessante notar que as redes sociais (Twitter, Orkut, Facebook, etc.) já figuram com credibilidade similar às demais fontes de informação. Isso mostra claramente que não podemos ignorar o poder das redes sociais na formação de opinião”, diz.

A estudante de Publicidade, Bianca Paiva, diz que nunca vai à banca comprar jornal ou revista. “Geralmente pesquiso tendências de mercado da minha área pela web. Uma vez me disseram: por que ir à banca, se temos a mesma coisa na internet e de graça?. É verdade. Sempre que me informo é pela internet”. Se lê algum jornal impresso, “é o que me dão na saída do metrô”, diz.

Credibilidade – O levantamento ainda mostra que a credibilidade das informações transmitidas pelos meios de comunicação é maior para o rádio, que obteve, numa escala de 0 a 10, a nota média de 8,21. Mas os sites de notícias e os blogs jornalísiticos vem logo em seguida, com consideráveis 8,2 pontos, na frente de todos os demais veículos: TV (8,12), jornais on-line (8,03), jornais impressos (7,99), revistas impressas (7,79), redes sociais (7,74) e revistas on-line (7,67).

O aumento da credibilidade na internet é uma das razões pelas quais Maurício Ferrigno, dono de uma empresa de consultoria, não assina mais jornal. “É mais dinâmico dar uma lida nas notícias pela internet. Parei de assinar o impresso há três anos. Eles ficavam acumulando num canto da casa, por 20 dias, intactos”, fala.

A internet já está tão inserida no cotidiano de Ferrigno que ele acessa no trabalho e continua se informando via web, quando chega em casa à noite. “Participo de um fórum on-line da área de consultoria e, por isso, estou sempre conectado”, diz.

Na opinião de Ednilson Machado, sócio-diretor do Grupo Máquina, “o resultado da pesquisa é muito rico e nos ajuda a entender qual é o caminho que as pessoas estão traçando para o futuro da comunicação. Essa compreensão é fundamental para o posicionamento da marca e desenvolvimento do trabalho voltado aos clientes”.

Banda Larga para todos – A participação do governo federal pode ser decisiva para a popularização da internet que hoje conta com 64,8 milhões de usuários brasileiros, segundo dados do mês de outubro, divulgados pelo Ibope Nielsen Online. Nas próximas três semanas será realizada uma reunião para debater o Plano Nacional de Banda Larga. No entanto, algumas diretrizes gerais já foram definidas e anunciadas pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge. Entre elas, a de que a Telebrás deverá gerir a rede estatal de fibras óticas, que será usada no programa. É o que defendem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva Lula e o Ministério do Planejamento. Mas se depender do Ministério das Comunicações, que diverge de opinião, operadoras do serviço, por meio de incentivos fiscais e financiamento público, passariam a oferecer o serviço nas regiões em que hoje é economicamente inviável.

A proposta do Ministério das Comunicações prevê investimento de cerca de R$ 49 bilhões para fazer com que a banda larga chegue a mais de 90 milhões de acessos até 2014. O valor ao acesso poderá ficar em torno de R$ 30,00.

Com o crescimento inevitável no número de usuários nos próximos anos, aumentará ainda mais a utilização da internet como veículo de informação, de pesquisa e de negócios.

Minha opinião

A internet faz a informação chegar de força veloz as pessoas, no momento que elas acontecem, ou em apenas alguns minutos após o ocorrido, já a televisão e jornais tem seus horários agendados diariamente para seus telejornais (manhã / tarde / noite) e impressão na madrugada respectivamente. Com a edição das matérias, imagens, fotos e entrevistas, muitas ocorrências não são publicadas no mesmo dia, coisa que não ocorre nos veículos de notícias da Web, como sempre falamos de uma gugada ou jogue no google que você acha alguma coisa a respeito.

Sugiro que todas as informações publicadas na web sejam assinadas com data e hora, nos sites de notícias isso já ocorre mas em muitas páginas da web e fóruns isso ainda não é feito.

Quanto a velocidade da internet eu já escrevi um tópico a respeito de Banda larga no Brasil é uma das piores do mundo

https://anselmoxavier.wordpress.com/2009/11/18/banda-larga-no-brasil-e-uma-das-pi ores-do-mundo/

Hoje o ideal para uma boa navegação é com velocidade de  1 MB

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: