Pesquisa aponta as prioridades dos paulistanos

Trânsito e transporte, que costuma ganhar destaque nas avaliações sobre os maiores problemas da cidade, ficou em 17º lugar

AE – Agencia Estado

SÃO PAULO – O que é importante para a sua qualidade de vida e para o seu bem-estar na cidade? O Movimento Nossa São Paulo fez essa pergunta a 32 mil paulistanos, entre junho e setembro deste ano. No topo da lista está a preocupação com educação. O trânsito, que costuma ganhar destaque nos bate-papos informais sobre os maiores problemas da cidade, ficou em 17º lugar.

Os dados chamaram a atenção dos organizadores da pesquisa, num momento em que a capital paulista recebe investimentos pesados para reduzir o congestionamento, com a criação de uma terceira pista na Marginal do Tietê, Rodoanel e expansão das linhas da Companhia do Metropolitano (Metrô). “Será que estamos no caminho certo? A pesquisa nos aponta uma nova direção”, disse o idealizador do Movimento, Oded Grajew.

Os dados foram divulgados ontem e serão encaminhados ao poder público. O levantamento é inédito e se propõe a criar um indicador que possa “medir” a qualidade de vida na cidade. Os apontamentos feitos pela população servirão de base para novas pesquisas, que devem avaliar os serviços públicos. Além de adultos, crianças e adolescentes de escolas públicas com idade entre 10 e 15 anos também foram ouvidos. Cerca de 50% dos entrevistados demonstraram preocupação com a qualificação dos professores. E outros 40% com a falta de vagas em creches e escolas perto de casa.

Mobilidade

Mesmo sem considerar a mobilidade um fator primordial para melhorar a qualidade de vida em São Paulo, os entrevistados também tiveram a oportunidade de indicar o que desejam para o trânsito e o transporte. Mais da metade pede a expansão da linhas do Metrô. Atrás de educação (58,89%) vieram saúde (56,30%), ambiente (49,54%), segurança (48,11%), trabalho (41,62%). Mobilidade recebeu 17,71%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Minha opinião

Sabemos que com a redução de IPI houve um aumento nas vendas desses carros e a idéia dos governantes é deixar este seguimento aquecido, com milhões de novos carros emplacados em São Paulo o que resta é criar mais pistas a eles.

Já a população se preocupa com o bem estar de sua família e depois com seu bem estar na cidade, onde envolve seu dia dia no trânsito, trabalhar e próximo a sua residência.

O que precisamos é ficar mais próximo do governo para realizar obras em pro da população e controle dos gastos nestas obras já que os governantes visam os novos tributos que os novos carros podem gerar e superfaturamento das obras como da Marginal. A obra estava prevista em R$ 1,3 bilhão, uma reportagem publicada esta semana pelo jornal Folha de São Paulo revela que o custo do projeto da Nova Marginal Tietê mais do que dobrou em menos de um ano. Segundo o jornal paulista, o custo já se aproxima da soma de R$ 1,86 bilhão, dinheiro que daria para construir 9 quilômetros de metrô.

Meu governador pergunte a população o que eles preferem: 23 km de novas pistas nas marginais ou 9 Km de metrô?
Concerteza a resposta será positiva para ambos os lados os que necessitam dos metros como os que utilizam veículos mas superfaturamento de obras issão não da para aguentar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: