Novos vídeos aprofundam crise política no DF

30/11/2009

Da Agência Estado

Novos vídeos do esquema de corrupção no governo do Distrito Federal revelado pela Operação Caixa de Pandora aprofundam ainda mais a crise política que pode custar o mandato do governador José Roberto Arruda, do DEM. As cenas mostram deputados escondendo dinheiro nos bolsos e até nas meias.

As imagens, gravadas com uma câmera escondida pelo ex-secretário de Relações Institucionais de Arruda Durval Barbosa, apresentam os bastidores do mensalão do Democratas e a divisão do dinheiro que, de acordo com a investigação, era proveniente de propina paga por empreiteiras e prestadoras de serviço.

Deputados e outros aliados políticos de Arruda aparecem em gabinetes do governo embolsando dinheiro e falando abertamente sobre o esquema. O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Leonardo Prudente (DEM), aparece escondendo dinheiro nas meias e nos bolsos da calça e do paletó. Falta espaço na roupa do deputado para guardar os maços de notas de R$ 50.

Minha opinião

Devem prender estes ladrões além de penhorar todos seus bens até recuperar o que foi roubado neste esquema.

Vamos aguardar e ver o que vai dar para estes políticos.

Lembrem-se corruptos não devem ser nossos representantes políticos.


Projeto visa política para evitar gravidez em adolescentes

30/11/2009

Governo deverá estabelecer ações em conjunto nos serviços de saúde, educação e assistência social.

Uma política de prevenção e atendimento à criança e adolescentes grávidas na faixa etária de 12 anos de idade incompletos até 18 anos, é o Projeto de Lei da deputada Flora Izabel (PT) que recebeu assinatura do deputado Dr. Pinto (PDT). Dessa forma o Governo do Estado deverá estabelecer as ações em conjunto nos serviços de saúde, educação e assistência social.

O objetivo é tornar mais eficiente o atendimento preventivo a crianças e adolescentes para assegurar a proteção nesses casos no Estado do Piauí. A deputada prevê a criação do Comitê de Atenção à Gravidez para fiscalizar o trabalho junto as entidades públicas e privadas e os municípios.

Também irá determinar a capacitação e qualificação dos profissionais da rede Estadual de Saúde, de Educação e Assistência Social no atendimento e proteção á gravidez precoce. O Governo do Estado deverá promover ações em busca do atendimento ambulatorial e o pré-natal ao parto em hospitais e clínicas do Sistema Único de Saúde (SUS).

Haverá o Cadastro Único das Crianças e Adolescentes Grávidas com registro de informações sobre a escolaridade, condições de saúde, moradia para direcionar os projetos sociais da área.

COORDENAÇÃO – A Política de Prevenção e Atendimento à Criança e Adolescente Grávidas será coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde. Conforme dados do relatório do Fundo da População das Nações Unidas o Brasil é apontado como um dos países com taxas de gravidez na adolescência acima da média mundial. O Brasil tem a segunda maior taxa de gravidez entre jovens de 15 e 19 anos.

O Piauí é o primeiro colocado na região Nordeste. 23,8% dos partos são de mães nessa faixa etária. A taxa nacional é de 20%. Na Maternidade Evangelina Rosa, em Teresina, esse ano, de 908 partos, 203 eram de mães adolescentes.

Minha opinião

Este programa deve ser estendido a todo território nacional para auxiliar os adolescentes na prevenção de gravidez, e incentivar o uso de preservativos. Além de não utilizar o uso de preservativos, correm o risco de serem infectados com doenças sexualmente transmissíveis.


As 5 lições do Enem

30/11/2009

Fonte gazeta do povo

Tempo
O pouco tempo entre a aceitação do novo formato e a aplicação do exame – cerca de cinco meses – trouxe conseqüências ao planejamento desta primeira avaliação, na opinião de alguns educadores. A implantação do novo Enem ainda neste ano foi um dos principais questionamentos dos reitores das universidades federais na hora de aderir à avaliação.

Participação

A falta de diálogo entre governo e sociedade é uma falha apontada pelas entidades que representam os secretários estaduais de Educação, estudantes e cursos pré-vestibulares. Uma maior participação da sociedade civil na elaboração do novo Enem está entre as principais reivindicações. Um comitê de governança já foi instituído pelo Ministério da Educação para acompanhar o andamento do exame.

Licitação

Um cuidado maior com a licitação deve estar entre as prioridades do governo nas próximas edições da prova. Uma das empresas do consórcio contratado para imprimir as provas e aplicar o Enem foi alvo de ações judiciais. O ministro da Educação, Fernando Haddad cogitou a possibilidade de ser criada uma empresa estatal especializada na aplicação de concursos públicos.

Logística

A logística da implantação de um exame do porte do Enem tem de estar muito bem estruturada. A aplicação da prova, no próximo fim de semana, contará com a participação da Força Nacional de Segurança, da Polícia Federal e dos Correios. Como será a única forma de ingresso em 14 universidades, a prova ganhou mais peso. São 4,1 milhões de participantes em 1,8 mil municípios brasileiros.

Segurança

A necessidade de uma segurança reforçada é outra lição ressaltada principalmente pelos reitores de universidades, que já possuem anos de experiência na aplicação de vestibulares em suas instituições. Um dos planos do Inep é aplicar o Enem em vários momentos ao longo do ano. Para 2010 já está prevista a aplicação de duas etapas da avaliação.

Com dois meses de atraso, 4,1 milhões de estudantes testarão seus conhecimentos no novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo fim de semana. A prova, que deveria ter sido realizada nos dias 3 e 4 de outubro, foi suspensa após o vazamento do conteúdo de algumas questões. A notícia de fraude engrossou a discussão sobre a confiabilidade do exame, considerado pelo governo federal a principal ferramenta de avaliação do ensino médio brasileiro e, a partir deste ano, um dos critérios (quando não o único) para o ingresso dos vestibulandos em 24 das 55 universidades federais do país.

Educadores ouvidos pela reportagem da Gazeta do Povo apontam cinco questões que precisam ser observadas nesta e nas próximas edições do Enem, usado também para a concessão para bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni).

Federais não desistiram do exame

Apesar de o cancelamento da prova ter complicado a vida de 4,1 milhões de estudantes brasileiros, a credibilidade do Enem ainda não está ameaçada. Esta é a opinião do presidente da Associação Nacional das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Alan Barbiero, que reforçou que as universidades federais não desistiram do novo Enem. “As universidades federais continuam usando a nota do Enem. As mudanças foram para adequação ao calendário”, diz.

O presidente da Andifes ainda ressalta que há um esforço muito grande dos reitores para manter o uso do exame como vestibular único entre as federais. “Um processo de seleção deste porte é complexo e traz outro valor ao Enem, que antes já era importante. A nossa preocupação sempre foi com a segurança”, diz.

Porém, a credibilidade do Enem ainda é questionada pelo próprio presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Reynaldo Fernandes. “Se a adesão não ocorrer em três anos, dificilmente o Enem vai ter sucesso como vestibular único”, disse em reportagem publicada na Gazeta do Povo no dia 1º de outubro.

Emergência
A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) tem plano emergencial, no caso de ocorrer outro cancelamento do Enem. O reitor da UTFPR, Carlos Eduardo Cantarelli, afirma que a universidade não acredita na ocorrência de outro problema semelhante ao que ocorreu no início de outubro, quando parte do conteúdo vazou. “Estamos tranqüilos com o novo esquema de segurança adotado e muito otimista. Se ocorrer algum problema, ficaremos num período crítico de datas e convocamos um processo de seleção interno.”

Cantarelli reforça que a principal lição fica para a sociedade. “O propósito do Enem é nobre e com visão de futuro. O processo de seleção para as universidades é muito massacrante. Será preciso alguns anos até que as coisas mudem”, afirma. (TD).

Minha opinião

Ainda bem que as universidades federais não descartou o programa do ENEM, mas eu desejo que o governo do país melhore a qualidade educacional do Brasil entre o ensino público e o privado por que há muita distância, o primeiro é irregular e o privado é bom para ótimo.


Lula defende aulas de educação sexual e combate ao racismo nas escolas

30/11/2009

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu neste sábado 28/11/2009, aulas de educação sexual e combate ao racismo nas escolas.  “Se a gente tiver medo de ensinar o combate ao racismo e educação sexual nas escolas, vai ficar mais difícil depois.”

Lula participou, em São Bernardo, da inauguração de um espaço para atendimento de crianças carentes batizado com o nome de sua mãe, Eurídice Ferreira de Mello, conhecida como Dona Lindu.

Em seu discurso, Lula criticou pais e mães “modernos”, mas que dentro de casa não têm coragem de enfrentar com os filhos temas como educação sexual.

Na presença de Luiz Marinho, prefeito de São Bernardo, Patrus Ananias, ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Paulo Vanucci, ministro de Direitos Humanos do Brasil, Lula voltou a criticar a programação das TVs brasileiras, as quais reprovam por não exibirem programas educativos. “Qual é a mensagem educativa que temos nos meios de comunicação? O que as TVs mostram 24h por dia? Qual é a mensagem? Pouca coisa, porque o interesse é comercial. Se não dá ibope, não é bom.”

Minha opinião

Perfeita a colocação do presidente, mas qual foi a ação tomada, como um velho ditado falar até papagaio fala.

Penso que seja primordial aula de educação sexual nas escolas e principalmente muito diálogos nas residências. Deve-se conversar com os filhos quais as reações das ações não planejadas, passarem informações para jamais deixar outras pessoas na rua tocar nas partes intima do corpo e por ai vai.

Mostrar aos adolescentes que maternidade ou paternidade precoce trará uma vida mais árdua perante aos estudos.

Quanto ao racismo, é a mesma informação que devemos passar aos nossos filhos para respeitar ao próximo e ter sempre em mente que seu espaço termina aonde começa o do próximo.


Alunos da rede estadual renovam matrícula a partir de terça

30/11/2009
Começa nesta terça-feira, 1°, o período de renovação de matrícula dos estudantes da rede estadual de ensino que desejam continuar na mesma unidade em que estão matriculados. A Secretaria da Educação do Estado (SEC) destaca que a renovação não é automática.
Até o dia 4 de janeiro de 2010, o estudante deve comparecer à secretaria da própria escola para preencher e assinar um formulário. Em caso de menores de 18 anos, o formulário deverá ser assinado pelo pai ou responsável.
O período de matrícula para os estudantes que desejam mudar de escola ocorre entre 15 e 18 de janeiro de 2010. Na sequência, os alunos novos se matriculam entre 19 e 22 de janeiro.

Número de vagas ociosas em universidades federais cresce 117%

30/11/2009
Fonte: Folha de São Paulo
Segundo censo do ensino superior, são 7 mil lugares vagos; programa do governo Lula amplia o sistema
Lígia Formenti, Renata Cafardo e Simone Iwasso
O número de vagas ociosas nos cursos de universidades federais subiu 117% em apenas um ano. Em 2008, 7.387 vagas oferecidas nos vestibulares não foram preenchidas, segundo o último Censo da Educação Superior, divulgado ontem. O governo Lula investe R$ 2 bilhões em um projeto de ampliação das federais. O número de lugares não ocupados representa a metade das vagas criadas no mesmo ano (14 mil) por esse programa de expansão.
Segundo especialistas, as vagas ociosas, além de indicarem um direcionamento equivocado do governo, são mais uma demonstração da saturação do mercado do ensino superior brasileiro. Este foi o primeiro ano, desde 1998, que o número de universidades, faculdades e centros universitários diminuiu. Desde o fim dos anos 90, com a facilitação de concessões para abertura de universidades privadas, o sistema cresceu mais de 100%.
O número de universitários brasileiros chegou em 2008 aos 5 milhões, mas o ritmo do crescimento tem caído. As únicas áreas que ainda registram forte aumento são a educação a distância e os cursos tecnológicos (mais informações na página 30).
“O MEC fez uma expansão desenfreada das universidades federais”, afirma o especialista em ensino superior Carlos Monteiro. “Não teve planejamento. Em algumas regiões o aumento era desnecessário, não havia demanda. Em outras, os cursos abertos não tinham atratividade.” Para ele, o problema vai se intensificar com a abertura de novas instituições em 2010, parte delas em regiões de fronteira ou no interior do Nordeste.
A Secretária de Educação Superior do MEC, Maria Paula Dallari, reconhece que o número é significativo e diz que o governo está estudando as razões. As cerca de 7 mil vagas ociosas representam 4,3% do total de 169 mil oferecidas em 2008 pelas federais.
Ela acredita que muitos estudantes não saibam ainda dos novos cursos, instalados em cidades pequenas, e defende campanhas sobre o programa. Maria Paula também admite que possa haver cursos – antigos ou recentes – que não atendam aos interesses dos alunos. “Podemos fazer mudanças.” Um dos focos do programa são cursos de formação de professores.
CUSTO
Segundo estimativas, cada vaga em uma universidade federal custa R$ 12 mil/ano. O País tem hoje 57 federais, com 643 mil alunos.
“Criaram cursos com viés ideológico”, afirma o consultor de ensino superior Ryon Braga. “Isso é dinheiro público jogado fora e o problema se torna ainda mais preocupante se contar as vagas que ficam ociosas por causa da evasão”, completou o especialista em educação superior Oscar Hipólito. “Foram criados novos cursos em regiões onde o nível do ingressante muitas vezes é tão baixo que ele não consegue passar no vestibular.”
Minha opinião
Esta ai a realidade dos nossos governantes, gastando bilhões sem planejamento, tenho certeza que isso nada mais é do que lavagem de dinheiro público, como pode abrir vagas e não divulgarem.
Faço aqui uma simples pergunta:
Você sai gastando seu dinheiro antes de planejar aonde vai invertir?


Show do ministro da educação brasileira nos Estados Uniddos

30/11/2009

 

Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!
Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos,o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.
O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.
Esta foi a resposta do Sr.Cristóvam Buarque:
“De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.
“Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.
“Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro.O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço.”
“Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.
“Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês,decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.
“Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade.
Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.
“Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.
“Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola.
Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.
“Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa!
Minha opinião
Nos Brasileiros devemos cuidar do que é nosso, vamos dar valor em nossas riquezas e terras dizer ao mundo que nosso país tem tudo do bom e do melhor, esta terra tão fértil em que tudo que se planta dá já tem dono e é do Brasil.
Não vamos deixar nossos governantes vender esta e outras terras com privatizações, que saudade da TELESP onde os telefones funcionavam.
DIZEM QUE ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDE A DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇA TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS QUE DOMINAR.